Defensoria Pública de Minas Gerais

Igualdade e cidadania para todos


TJMG irá homologar acordos individuais firmados pela Defensoria Pública de Minas Gerais em Brumadinho


Por Ascom em 15 de abril de 2019

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais irá homologar os acordos extrajudiciais que forem firmados pela Defensoria Pública de Minas Gerais com vítimas do rompimento da barragem de rejeitos de mineração da mina do Córrego do Feijão, da Vale, em Brumadinho. A decisão foi tomada na manhã desta segunda-feira (15/4), em reunião das equipes da Defensoria Pública e da 3ª. Vice-Presidência do TJMG, responsável pelas negociações e acordos pré-processuais no âmbito do Tribunal.

A desembargadora Mariangela Meyer, terceira vice-presidente e coordenadora do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), reconheceu a importância do trabalho da Defensoria Pública, “que tem feito todos os esforços no sentido de mediar as negociações extrajudiciais em Brumadinho”. Ela disse que os acordos “passam a contar com integral apoio do Centro Judicial de Conciliação e Cidadania (Cejusc), braço do TJMG, que foi totalmente reestruturado em Brumadinho para dar o melhor atendimento às vítimas”.

Após a reunião, a equipe da Defensoria Pública mineira encontrou-se com o presidente do Tribunal, desembargador Nelson Missias de Morais, que elogiou “a postura ética e profissional que os defensores públicos vêm adotando em relação às vítimas de Brumadinho, pois estão colocando em primeiro lugar os interesses da cidadania e não os das corporações”.

O desembargador ressaltou que os acordos a serem firmados pelas vítimas e seus familiares dizem respeito aos direitos individuais disponíveis e não lhes retiram qualquer direito futuro, inclusive os que venham a constar de eventuais acordos coletivos. O “termo de compromisso” assinado entre a Defensoria Pública de Minas Gerais e a Vale garante, inclusive, cláusula de arrependimento.

O defensor público-geral Gério Patrocínio, por sua vez, agradeceu a postura do TJMG favorável à negociação, que irá evitar que o pagamento das indenizações se prolongue indefinidamente. O defensor público-geral afirmou que o Poder Judiciário “é a última trincheira da população”.

A expectativa dos defensores públicos que estão atuando em Brumadinho é que os primeiros acordos possam ser homologados já a partir da próxima semana.

Presenças

Também participaram da reunião os juízes auxiliares da Presidência Luiz Carlos Rezende e Santos e Jair Francisco dos Santos; o juiz auxiliar da 3ª Vice-Presidência, José Ricardo dos Santos de Freitas Véras; o juiz Evandro Cangussu Melo, diretor do foro da Comarca de Montes Claros; e os defensores públicos João Paulo Torres Dias, Antônio Lopes de Carvalho e Marina Lage Pessoa da Costa.

Da Ascom/DPMG com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais

 



Transparência

O que é?

O objetivo dessa sessão é permitir o acesso transparente, rápido e fácil aos documentos e informações relacionadas à Execução Orçamentária e Financeira, Licitações, Contratos e Convênios.

saiba mais >