Defensoria Pública de Minas Gerais

Igualdade e cidadania para todos


DPMG recebe resultados de DNA realizados no mutirão Direito a Ter Pai


Por Ascom em 8 de fevereiro de 2019

Em cerimônia realizada na Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais (DPMG), nesta sexta-feira, dia 08 de fevereiro, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), na pessoa do juiz auxiliar da presidência Luis Carlos Resende dos Santos, entregou simbolicamente ao defensor público-geral, Gério Patrocínio Soares, os resultados dos exames de DNA realizados em 2018, no mutirão Direito a Ter Pai.

O juiz Luis Carlos Resende fez a entrega simbólica dos resultados de DNA ao defensor público-geral Gério Patrocínio

A sexta edição do mutirão ofereceu 1150 exames de DNA, além de reconhecimentos espontâneos e socioafetivos, que foi a grande novidade deste ano.  Ter pai é muito mais do que um fator biológico, é a construção de um papel social, como afirmou Gério Patrocínio em sua fala de abertura: “A palavra de hoje é gratidão. Gratidão pela parceria. Gratidão pela realização. Somos gratos por reconstruir laços tão importantes para a vida”. Ao agradecer a presença e a colaboração do TJMG na realização do projeto, o defensor público-geral declarou-se satisfeito por receber os resultados e poder “proporcionar aos assistidos o reconhecimento de suas origens”.

O defensor público-geral declarou-se grato pela parceria

O juiz de Direito Luis Carlos Resende dos Santos, que representou o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Nelson Missias de Morais, agradeceu a oportunidade e se comoveu ao lembrar que a sensibilidade de pessoas e instituições fazem a diferença na vida de quem precisa, “dando voz àqueles que não a possuem”. O juiz espera “que os resultados sejam um ato de amor e libertem as pessoas da angústia”.

O juiz Luiz Carlos representou o presidente do TJMG, desembargador Nelson Missias

A juíza de Direito da Vara de Registros Públicos e do Centro de Reconhecimento de Paternidade (CRP), Maria Luiza de Andrade Pires, participou da edição de 2018 na prática, atendendo aos assistidos por todo o dia da ação. A juíza compartilhou com os presentes que “foi uma experiência rica e emocionante, por poder ajudar famílias a mudarem suas histórias”.

A juíza Maria Luiza de Andrade relatou ter tido uma experiência emocionante na edição de 2018 do mutirão Direito a Ter Pai

A coordenadora regional de Famílias e Sucessões da Capital, Caroline Loureiro Goulart Teixeira, que organizou o mutirão em parceria com a Coordenação de Projetos, Convênios e Parcerias, usa sua experiência diária no exercício da Defensoria para afirmar que “o reconhecimento socioafetivo foi essencial para atender às mudanças do núcleo familiar” e declarou esperar que tenham muitas edições para “garantir os direitos dos assistidos”.

A coordenadora do mutirão na Capital, Caroline Loureiro, acredita que o Direito a Ter Pai garante o direito dos assistidos

Compuseram o dispositivo a subdefensora pública-geral, Luciana Leão Lara Luce; o diretor presidente da Associação das Defensoras e dos Defensores Públicos de Minas Gerais (ADEP-MG), Eduardo Cyrino Generoso; e o secretário do Conselho Superior, o defensor público Galeno Gomes Siqueira. A entrega simbólica foi feita na presença de defensores públicos, juízes e servidores envolvidos com o mutirão. 

Da esquerda para a direita: o secretário do Conselho Superior, Galeno Gomes; a coordenadora regional de Famílias e Secessões da Capital, Caroline Loureiro; o defensor público-geral, Gério Patrocínio; a juíza da vara de Registros Públicos, Maria Luiza de Andrade; a subdefensora pública-geral, Luciana Leão; o juiz de Direito, Luis Carlos Resende; e o diretor presidente da ADEP-MG, Eduardo Cyrino

Sobre o mutirão

O mutirão Direito a Ter Pai é um projeto da DPMG, com o apoio do TJMG, por meio da equipe do Centro de Reconhecimento de Paternidade. Em 2018, a ação aconteceu no dia 23 de novembro, simultaneamente em 43 comarcas do Estado, tendo atendido, só na capital, mais de mil pessoas.

Os municípios que participaram desta edição foram: Araguari, Belo Horizonte, Betim, Campanha, Cássia, Cataguases, Caxambu, Conceição do Mato Dentro, Conselheiro Lafaiete, Contagem, Curvelo, Divinópolis, Ibirité, Igarapé, Ipatinga, Itajubá, Ituiutaba, Iturama, Jaboticatubas, Juiz de Fora, Montes Claros, Muriaé, Nova Lima, Pará de Minas, Patos de Minas, Pedro Leopoldo, Pitangui, Poços de Caldas, Ponte Nova, Pouso Alegre, Sabará, Santa Luzia, São João da Ponte, São Lourenço,  São Sebastião do Paraíso, Sete Lagoas, Teófilo Otoni, Três Corações, Três Pontas, Ubá, Uberlândia, Varginha, Vespasiano.



Transparência

O que é?

O objetivo dessa sessão é permitir o acesso transparente, rápido e fácil aos documentos e informações relacionadas à Execução Orçamentária e Financeira, Licitações, Contratos e Convênios.

saiba mais >